sexta-feira, 9 de julho de 2010

Day 28


For someone that changed my life.
 
"Eu sou o leão."




Para Tiago

Engraçado, e eu nem sei o seu sobrenome. Eu sei, é estranho. Estranho como um dia muda tudo.
Você poderia se encaixar em vários tópicos dessa lista, sabia? Uma pessoa simpática que eu conheci por apenas um dia, alguém para quem eu gostaria de dar uma segunda chance, alguém pra quem eu fiz uma promessa... mas acima de qualquer outro item desses, você mudou a minha vida.
Sabe, eu nunca imaginei que aquilo fosse acontecer. Pra mim era só um feriado diferente em que eu me divertiria e voltaria na terça pra casa com um sorriso enorme no rosto. Ninguém espera que um dia mude tudo. Ninguém espera ver a morte tão de perto. Ninguém espera se sentir tão impotente e tão pequeno diante dessa força sobrenatural que move tudo ao nosso redor. Eu queria de verdade que a minha força física tivesse sido tão forte quanto a minha vontade de te tirar de lá, de te levar pro seguro no chão firme da terra. E eu queria também que o meu medo não tivesse superado a minha determinação. Eu me culpava, sabe. Eu achava que eu podia fazer alguma coisa. Eu deveria ter desafiado aquela maré, devia ter olhado pro céu e gritado ‘ei! Parou a brincadeira, né?’. Eu devia ter mostrado que eu sou sim tudo aquilo que eu sempre pensei que fosse. Mas me perdoa, Ti (e eu falo assim sem nunca ter tido qualquer tipo de intimidade com você... mas talvez nós entendamos essa ligação tão surreal, não é?), me perdoa por ter me desesperado quando senti meu rosto afundar com o seu. Me perdoa se a minha mão não foi forte o bastante pra segurar a sua. Eu sei que não tenho culpa, eu sei disso. E você não precisaria repetir isso pra mim. Mas algo lá no fundo me diz que talvez tudo pudesse ser evitado. É a parte insana gritando mais alto, sabe? Minha parte egocêntrica que se sente a altura de desafiar até mesmo o mar.
Eu não lembro muito bem se foi no momento em que eu ajoelhei na areia e senti a vida correndo por todas as veias do meu corpo e agradeci a Deus por isso, ou se foi depois, em casa, quando eu pedia perdão por não ter te trazido de volta. Mas eu lembro da promessa que eu te fiz. E eu a mantenho. Você morreu pra mudar minha vida, e eu vou fazer o máximo pra viver tudo o que você não teve oportunidade de fazer. Eu já comecei, e espero que você esteja se orgulhando de mim até agora.
Eu sei, eu nem te conhecia. Eu nem sei o seu sobrenome. Eu não conheço a sua família. Mas o que a gente passou naqueles breves cinco minutos na água não tem explicação, e nenhum tipo de conhecimento a seu respeito pode se comparar ao laço que a gente criou naquele momento. Eu me sinto responsável, sabe? Me sinto na obrigação de viver. Me sinto na obrigação de acordar todos os dias e sentir meu coração pulsando. Me sinto na obrigação de falar mais "eu te amo’s" pras pessoas.
O que mudou a minha vida foi exatamente isso. Essa vontade de sorrir mais do que chorar, essa vontade de falar, essa vontade de sentir. Foi essa vontade de viver. Não agradeço de forma nenhuma que você tenha precisado morrer pra eu acordar pra vida, mas agradeço por, indireta ou diretamente, ter aberto os meus olhos pro mundo. Obrigada, Tiago. Obrigada por me dar essa segunda chance. Obrigada.

3 comentários: